Diplomacia Corporativa

O conteúdo vai abordar a diplomacia corporativa que é importante para uma boa Governança Corporativa e também para a presença de conflitos.

Vamos iniciar com o conceito central do tema.

O que é Diplomacia Corporativa?

Diploma corporativa é o conjunto de conhecimentos e práticas que envolvem as relações de uma empresa com os diversos atores com os quais interage em seu mercado.

Estes atores – ou públicos ou partes interessadas (stakeholders em inglês) – podem ser classificados de diferentes formas de acordo com sua relação com a empresa. Por seu papel na relação, podem ser acionistas, clientes, funcionários, fornecedores, concorrentes, governos, entre outros.

Também podem ser classificados por seu peso político (com muito ou pouco poder), seu vetor político (com interesses convergentes ou divergentes, engajados ou não engajados) e por sua atitude (confronto, imposição, submissão, cooperação ou parceria).

Qual é o objeto de estudo da diplomacia corporativa?

O objeto de estudos da Diplomacia Corporativa é, portanto, a relação da empresa com os atores do mercado e, dada a diversidade destes atores, tem-se a necessidade de um conhecimento multidisciplinar que inclui as áreas da Administração de Empresas, Economia, Sociologia, Direito, Política, Relações Públicas, Relações Internacionais (RI), entre outras.

A área de RI, que é a área da diplomacia ‘tradicional’ entre governos na política internacional, traz uma vertente da diplomacia voltada para a interdependência política, econômica, social, demográfica e ambiental com necessidade de cooperação entre nações e os diversos atores do cenário internacional, o que inclui as empresas e a necessidade de uma Diplomacia Corporativa.

Qual a importância da Diplomacia Corporativa?

A importância atual da Diplomacia Corporativa aumenta com maior protagonismo das corporações empresariais no cenário mundial.

Estas apresentam estratégias mundiais associadas à modelos de gestão internacionais, multinacionais, globais e transnacionais e à modelos de marketing de relacionamento que evoluem da gestão de relacionamento com clientes (CRM, do inglês Customer Relationship Management) para uma gestão de relacionamento com stakeholders (SRM, Stakeholders Relationship Management). A diplomacia tradicional de governos já não é mais suficiente para evitar, sem retrocessos significativos, os fenômenos da globalização, os quais podem ser verificados:

  1. nas empresas, no trânsito mundial de valores financeiros (capital-dinheiro) e de produtos e serviços (capital-mercadoria),
  2. nas pessoas, com a comunicação e o deslocamento mundial e, finalmente,
  3. nos governos, nas entidades supranacionais, além de uniões aduaneiras, blocos e uniões de países e das organizações internacionais, como ONU, OMS, entre outras.

Neste contexto, surge a demanda por profissionais qualificados para a Diplomacia Corporativa, os quais devem apresentar, simultaneamente, competências de diplomacia nas relações corporativas locais e internacionais e de gestão empresarial, o que abrange áreas como:

  • finanças,
  • relações com investidores,
  • gestão de pessoas,
  • marketing e vendas,
  • logística, entre outras.

O que é o diplomata corporativo?

Diplomata corporativo é a pessoa que tem um cargo que envolva a Diplomacia Empresarial, ou seja, que seja responsável por representar os interesses de uma empresa perante governos, outras empresas e demais stakeholders em seu país no exterior.

É também responsável por estabelecer e manter relações corporativas (internas e/ou externas, nacionais e/ou internacionais).

Compete ao diplomata corporativo, no exercício de suas funções:

  1. identificar e analisar os atores do mercado da empresa,
  2. planejar o relacionamento da empresa com estes atores,
  3. desenvolver o relacionamento,
  4. prevenir e solucionar possíveis conflitos e
  5. controlar os resultados deste trabalho.

Como o exercício da profissão, geralmente, implica responsabilidade internacionais, recomenda-se formação e experiência em Relações Internacionais e em gestão empresarial.

O que é a prevenção de conflitos na Diplomacia Corporativa?

Prevenção de conflitos é uma alternativa importante do desenvolvimento do relacionamento entre a empresa e os atores de seu mercado, que encontra defensores em diversas áreas do conhecimento, como, por exemplo a Teoria da Interdependência e Teoria da Paz nas Relações Internacionais, Iniciativas de criação de valores compartilhado de Porter e Kramer, Melhores práticas de Governança Corporativa, Responsabilidade Corporativa e a norma ISO 26.000.

Em linhas gerais, a prevenção de conflitos via educação e capacitação de atores e a criação de fóruns para oportunizar o relacionamento, mostra-se uma alternativa mais ética, eficaz, sustentável e mais lucrativa do que a resolução de conflitos após seu surgimento. Mesmo naquelas empresas que não visam lucro, o custo da prevenção tende a ser menor do que o da resolução do conflito. Por este motivo, Diplomacia Corporativa e prevenção de conflitos ‘andam’ juntas.

Trata-se do sistema capitalista agindo certo pelos motivos certos. Trata-se do capitalismo sustentável.

Veja o vídeo sobre Diploma Corporativa.