Gestão de risco em Compliance: importância e alinhamento

A existência de riscos é inerente a praticamente todo negócio. Diante desse cenário dinâmico e muitas vezes ameaçador, nada melhor do que instituir e priorizar as metodologias de compliance na gestão de risco.

Dessa forma, é possível afirmar que, caso um negócio seja considerado como de alto risco, maiores serão as possibilidades de obter lucros e uma alta rentabilidade. Por sua vez, se o negócio não der certo os prejuízos também serão maiores. Nesse sentido, os riscos também podem ser encarados como oportunidades.

Que tal aprender mais sobre esse assunto? Este artigo vai apresentar as principais informações a respeito do compliance na gestão de risco. Acompanhe a leitura!

O que é compliance na gestão de risco?

Os conceitos gestão de riscos e compliance estão diretamente interligados dentro do âmbito da gestão corporativa.

Ambas as metodologias trabalham de maneira conjunta. Desse modo, a gestão de riscos em compliance envolve atividades que buscam a prevenção e identificação de riscos à integridade e continuidade das operações de uma empresa, além de criar políticas e diretrizes de controle dessas atividades.

A integração entre essas duas áreas beneficia as empresas, uma vez que significa a reunião de esforços dos gestores a fim de otimizar e facilitar a unificação e a transparência dos procedimentos, sempre com o objetivo de reduzir a ocorrência de problemas.

Como funciona o compliance na gestão de risco?

Primeiramente, a gestão de riscos é um método utilizado para acompanhar e lidar com as oscilações de um negócio. Essa atividade envolve a observação, o planejamento e a organização de vários setores da empresa, como financeiro, humano e negocial. Afinal, as incertezas ensejam a criação de riscos e oportunidades, estando a gestão de riscos ligada com a criação e preservação do valor do negócio.

Nesse sentido, a gestão de riscos e compliance promove o controle das operações e propõe a regulamentação das atividades, buscando sempre que a empresa se adeque conforme aquilo que determina a lei.

A prioridade deve ser a transparência, a padronização dos processos e a otimização dos recursos financeiros.

Como promover a integração entre as duas áreas?

Compliance e gestão de risco são pilares essenciais que fazem parte do procedimento de gerenciamento de empresas. Dessa forma, as instituições conseguem direcionar seus esforços para a identificação de falhas e o mapeamento de riscos, como os de caráter operacional, financeiro ou ambiental.

Além disso, a integração deve incluir a análise sobre o impacto que o risco pode trazer para a empresa, bem como a extensão desse problema. Confira, a seguir, as principais etapas de implementação de ambas as metodologias:

  • capacitar os colaboradores e promover a empresa do compliance;
  • contratar profissionais qualificados para atuar nessa área;
  • analisar o desempenho de cada setor;
  • mapear e monitorar os riscos;
  • elaborar estratégias de contenção dos riscos;
  • priorizar a comunicação clara entre as diversas áreas;
  • elaborar um planejamento de compliance.

Investir na aplicação da gestão de risco, portanto, é uma estratégia que garante a continuidade das atividades corporativas, principalmente diante de um mercado incerto e que passa por mudanças.