Soft skills e hard skills: entenda o que são e qual a importância de desenvolvê-las

Escutar o texto
Voiced by Amazon Polly

Você já ouviu falar em soft skills e hard skills? Foi-se a época em que os profissionais eram contratados apenas por suas habilidades técnicas. Hoje em dia, outras questões também são levadas em conta não somente no momento de uma contratação, mas durante toda a carreira de um colaborador. É claro que a formação e a experiência são importantes, mas esses quesitos não são mais considerados os únicos diferenciais.

Novo conceitos vêm se tornando a cada dia mais conhecidos: estamos falando em soft skills e hard skills. O último pode ser entendido como o conhecimento técnico em si, aquele adquirido em cursos e que pode ser comprovado a partir de testes teóricos e práticos, além de certificados de conclusão. Já as soft skills são habilidades comportamentais, que impactam principalmente as relações interpessoais. O espírito de equipe, a ética e a empatia são bons exemplos.

Quer entender melhor como aplicar esses dois conceitos? Acompanhe abaixo mais detalhes sobre o assunto.

Por que é importante desenvolver tanto hard skills quanto soft skills?

O termo “skills” pode ser traduzido do inglês como “habilidades”. E é claro que um profissional habilidoso ganha destaque no mercado em que atua. Especialmente pessoas que trabalham com o público precisam ter em mente que, quando se trata do fator humano, não basta aplicar a ciência exata.

O ser humano tem sentimentos, histórias e uma série de outros fatores subjetivos que fazem com que ele aja de determinada maneira. E isso é diferente de pessoa para pessoa. O profissional que, além de dominar a técnica, também sabe como lidar com essas questões, está certamente preparado para atuar no mercado que lhe compete.

Como essas habilidades se encaixam na vida do advogado?

Um advogado lida com os mais diversos tipos de indivíduos e problemas. Uma pessoa que necessita de serviços para um processo judicial, com certeza, está emocionalmente abalada, devido ao estresse que questões desse tipo costumam trazer. Um advogado que detém apenas conhecimentos técnicos (hard skills) pode ignorar sinais que fariam a diferença no processo.

Quando o profissional também está preparado com habilidades comportamentais (soft skills), fica mais fácil entender as emoções do cliente, o que pode até trazer ideias na hora de propor soluções ou acordos. Avaliar um cliente do ponto de vista legal é tarefa para qualquer pessoa que tenha se formado em Direito, mas só os melhores advogados conseguem balancear essas questões também com o fator emocional.

Como desenvolver esses conceitos na formação?

Ainda que você não se sinta bem preparado para lidar com esse lado, lembre-se de que sempre há tempo para evoluir profissionalmente. Muitas vezes, uma pós-graduação ou especialização ajuda a desenvolver não somente conhecimentos técnicos, mas também esse lado mais humano. No trabalho, procure fazer um exercício diário de prestar mais atenção ao comportamento de colegas e clientes. Você vai perceber que, com o tempo, começará a ver até mesmo as questões profissionais por outro ângulo.

Resumidamente, soft skills e hard skills são conceitos que estão sempre em alta. Isso permite que você se mantenha em constante desenvolvimento para aplicá-los no dia a dia do escritório de advocacia. Mas, para isso, precisa estar disposto a atualizar-se sempre.

Previous articleCompliance bancário: o que é preciso saber sobre o tema?
Next articleComo abrir uma loja virtual em plena pandemia de COVID-19?
A equipe de Redação é formada por profissionais especializados em redação, marketing, finanças, empreendedorismo, administração e gestão. Estes profissionais são os responsáveis por criar conteúdo informativo e que ajudam a inovar e resolver problemas do mercado.