A importância do uso e da interpretação de dados em escritórios de advocacia

Hoje, a transformação digital é a palavra de ordem em todas as áreas. Nesse cenário, o perfil do profissional da área jurídica ganhou novas características e agregou outras responsabilidades e atividades, ao mesmo tempo em que adquiriu um grande aliado: o Big Data para escritório jurídico.

A tecnologia se tornou uma aliada indispensável dos advogados que precisam estar sempre informados sobre tudo o que acontece com os processos.

Um dos principais desafios dos escritórios jurídicos, portanto, é a constante busca pela modernização de processos para trazer agilidade e eficiência.

A interpretação de dados em escritório de advocacia ajudará na produtividade da equipe e também na diferenciação desse escritório em relação aos demais.

O objetivo, além de garantir uma melhor experiência para o advogado, é oferecer um serviço mais eficiente para os clientes, que esperam essa transformação. Por esse motivo, é cada vez mais raro encontrar escritórios que atuam com base em arquivos físicos — com documentos, pastas e papéis.

A quantidade de informações disponível, entretanto, pode passar a falsa impressão de que a empresa está ‘bem informada’. Se não estiverem organizados, porém, esses dados são aleatórios e dispersos. Para organizá-los, analisá-los e convertê-los em visão de negócio é preciso uma mãozinha do Big Data.

É sobre isso que vamos falar neste post!

Interpretação de dados

A interpretação de dados em escritórios de advocacia deve ser feita com o uso da tecnologia, especialmente com o Big Data.

O Big Data usa ferramentas e tecnologias para segmentar informações, sistematizá-las e encontrar padrões. Ele ajuda a transformar dados brutos em informações úteis para a tomada de decisões estratégicas.

O Big Data pode ser conceituado com 5 Vs:

  1. Valor
  2. Veracidade
  3. Variedade
  4. Volume
  5. Velocidade

Em outras palavras, significa coletar, analisar e organizar informações para que se transformem em estratégias de negócio.

Conforme a papelada diminui, a demanda por tecnologia nos escritórios jurídicos aumenta. Dispositivos móveis de todo tipo estão cada vez mais presentes, já que a tecnologia é um fator estratégico para qualquer empresa que pretenda se manter competitiva em seu nicho.

Uso de dados

Esse alto fluxo de dados pode ser melhor administrado se forem usadas ferramentas de Business Intelligence (BI). Elas dão acesso a panoramas financeiros e desempenho dos profissionais em tempo real e esses indicadores são cruciais para a tomada de decisão.

Em um escritório jurídico, é natural que a equipe busque o compliance — que significa, em tradução livre, “agir de acordo com as regras” — durante todo o seu processo de trabalho. É essencial, porém, que o faça em todas as áreas do escritório: finanças, relacionamentos (funcionários, clientes, Poder Público) e outros.

Para tornar a gestão mais eficaz, um software pode ajudar na automação de processos de compliance, e é mais barato e menos suscetível a erros do que contratar e treinar pessoal. Enquanto os dados referentes à legislação ficam no sistema e são mais facilmente seguidos, a equipe pode se concentrar nas causas dos clientes.

Vale, ainda, ficar atento ao backup de dados. Todas as informações referentes a processos, arquivos internos, documentação de clientes e outros ficam em servidores próprios ou de terceiros, mas é essencial ter uma estratégia de backup, que possa ser usada para recuperação em caso de imprevistos, incidentes ou falhas.

Todas essas tecnologias de automação que estão promovendo a robotização da advocacia vêm para facilitar o dia a dia dos advogados. Existem, por exemplo, agentes com inteligência artificial capazes de pesquisar informações com extrema rapidez, armazená-las e até entender e responder a algumas questões jurídicas.

Apesar de não substituir o raciocínio lógico e a criatividade humanos, um robô tem habilidades de pesquisa e armazenamento importantes. Isso fica claro, por exemplo, quando um chatbot é usado para representar o advogado para assistência jurídica em casos cuja resolução vem por vias administrativas.

Se você gostou deste artigo sobre Big Data para escritório jurídico, siga a gente nas redes sociais para ficar por dentro de conteúdos semelhantes. Estamos no Facebook da Kurier e no LinkedIn da Kurier.

Dê uma nota a este post!
[Nota média: 5]

SHARE
Previous article13 estratégias para captar clientes para o escritório de advocacia
Next articleCultura organizacional em escritórios de advocacia

A Kurier Tecnologia recupera informações complexas e manuais diretamente dos tribunais e as transforma em formatos otimizados que geram celeridade e praticidade no dia-dia do mercado jurídico. A empresa se especializou em tecnologia para área jurídica, caracterizando-se como uma empresa de Legal Tech, e sua linha de soluções e serviços é totalmente focada no nascimento ao encerramento dos processos, além dos sistemas de gestão e geração de documentos que possibilitam redução no tempo de trabalho, custo e ainda proporciona maior foco na inteligência e gestão das informações.

Como diferencial a empresa oferece alta qualidade e atendimento especializado aos clientes, com inovação sempre buscando novos desafios e oportunidades de criação de novos produtos. Atendendo escritórios de advocacia, departamento jurídicos e também Bureau de Créditos que trabalham com informações jurídicas.