Legaltech e lawtech: o que são e como influenciam o mercado de direito

Com o avanço digital, a tecnologia tem influenciado diferentes setores pelo mundo, o que não é diferente com o direito. Cada dia, se faz mais necessário entender as novas demandas do mercado e dos clientes para inovar e prosperar, mesmo com tanta competitividade. Dessa forma, as legaltechs e lawtechs ganham espaço no meio jurídico.

Trata-se da junção entre direito e tecnologia, por meio de ações que englobam a ideia de startups com a finalidade de reformular todo um ciclo já estruturado nos métodos tradicionais, modernizando os serviços prestados e fazendo com que o profissional consiga se adequar aos conceitos atuais.

Quer entender melhor como as legaltechs e lawtechs funcionam e como tem impactado no ramo do Direito? Continue a leitura!

O que são as legaltechs e lawtechs?

De forma geral, são a mesma coisa, considerando que uma é a abreviação de legal technology (tecnologia). Por sua vez, a junção de law (advocacia) e technology originou a palavra lawtech.

Trata-se de companhias inovadoras (startups) que investem em tecnologia para resolver algum conflito ligado ao ambiente jurídico.

Empresas que oferecem soluções tecnológicas são chamadas para garantir a otimização dos processos da cadeia jurídica. Assim, avaliam e identificam pontos de melhorias no setor e atividades rotineiras desenvolvidas pelos advogados, com o foco de propiciar maior eficiência.

Esse conceito surgiu da necessidade do mercado, principalmente quando os profissionais passaram a se ver como empreendedores e assumiram a responsabilidade de aumentar os níveis de desenvolvimento e resultados de seus escritórios. Então, as ferramentas tecnológicas foram vistas como mecanismos fundamentais para que isso acontecesse.

Como as legaltechs e lawtechs têm facilitado a rotina dos profissionais de direito?

Como já foi dito, a finalidade desse conceito é encontrar as principais deficiências desse ramoe, a partir daí, elaborar soluções que sejam capazes de aperfeiçoar e resolver esses problemas.

Hoje, é possível controlar intimações e prazos, além de mediar conflitos de maneira online. Outros exemplos são: processo eletrônico, softwares jurídicos que possibilitam o acesso rápido a sites dos tribunais e jurisprudências, controle de dados dos clientes e informações recebidas por meio da centralização, armazenamento em nuvem etc.

Quais são seus benefícios?

As legaltechs e lawtechs propiciam diversos benefícios para os profissionais. Conheça os principais:

  • aumento da produtividade;
  • realização de pesquisa jurídica;
  • gestão eficiente;
  • redução de custos;
  • organização dos processos e atividades;
  • desafogamento do judiciário;
  • maior acesso à lei;
  • promoção da transparência;
  • qualidade dos serviços prestados;
  • captação e fidelização dos clientes.

Quais são suas categorias?

Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L), dividiu essas soluções tecnológicas em 11 categorias. Veja a seguir quais são:

  • analytics e jurimetria: plataformas de análise e reunião de dados, e jurimetria;
  • automação e gestão de documentos: sistemas de automação de arquivos jurídicos e administração da durabilidade de contratos e processos;
  • compliance: instituições que concedem o conjunto de disciplinas para promover a aplicação da legislação e políticas definidas para as atividades da empresa;
  • conteúdo jurídico, educação e consultoria: sites de informação, notícias, legislação e demais organizações de consultoria com atuações na segurança de dados e assessoria tributária;
  • extração e monitoramento de dados públicos: acompanhamento e gerenciamento de informações públicas, como andamentos processuais, documentos cartorários, leis e publicações;
  • gestão — escritório e departamento jurídicos: recursos de gestão de informações para setores jurídicos e escritórios;
  • IA — setor público: soluções de Inteligência Artificial para o poder público e tribunais;
  • redes de profissionais: relacionamento entre profissionais do ramo do direito, que possibilitam que empresas e pessoas encontrem advogados em todo o país;
  • regtech: ferramentas tecnológicas utilizadas para resolver problemas provocados pelas exigências de regulamentação;
  • resolução de conflitos online: companhias dedicadas à solução online de conflitos por maneiras alternativas ao processo judicial, por exemplo, arbitragem, mediação e negociação de acordos;
  • taxtech: plataformas que proporcionam tecnologias e ferramentas para todos os desafios tributários.

Como pôde perceber, as legaltechs e lawtechs já são uma realidade e vieram com o intuito de aperfeiçoar os serviços realizados pelos advogados e tornar a rotina mais simples e otimizada, se tornando grandes aliadas dos profissionais e escritórios de advocacia.

Agora, que você já sabe a importância da tecnologia para a qualidade dos processos jurídicos, faça a leitura do post “7 aplicativos para advogados que você precisa conhecer” e entenda melhor sobre o tema!

Dê uma nota a este post!
[Nota média: 5]