Brainstorming na mediação de conflitos: 5 passos para aplicar

Você acredita no poder do brainstorming? Em uma tradução livre para o português, o termo inglês poderia ser definido como “tempestade de ideias”. Já que mediar conflitos é sempre um desafio, escolher uma ideia em meio a uma tempestade delas, talvez, seja uma forma inteligente de buscar uma solução mais efetiva. Eis o raciocínio para utilização da técnica.

Um brainstorming consiste em uma reunião em que todos são convidados a expor suas ideias e sugestões a respeito de um tema pré-determinado. Assim, se torna possível debater em busca de um consenso. Tal técnica pode ser aplicada em diversos momentos, desde o desenvolvimento de um produto até a solução de um conflito.

Se você deseja aplicá-la nessa segunda situação, continue lendo. Preparamos um passo a passo para ajudar.

1. Entenda as regras do brainstorming

Embora estejamos falando de uma reunião em que todos podem expor e debater ideias, ela deve fluir de maneira organizada. Se for o caso, estabeleça uma ordem para que as pessoas falem ou firme que se deve sempre levantar a mão antes de falar. Se não houver regras, a reunião resultará em diversas conversas paralelas ou muita gente falando ao mesmo tempo, o que torna impossível a comunicação.

2. Explique o problema

Antes de começar a debater ideias, é necessário expor o problema em questão. Deve-se abordar o máximo de detalhes possível e abrir um espaço para que as pessoas possam tirar suas dúvidas. Se a ideia é opinar sobre determinado assunto, ele deve ser levado ao conhecimento de todos antes de iniciar o debate.

3. Aponte as causas

Um dos caminhos para buscar a solução de problemas é entender suas causas. Muitas vezes, não basta combater os efeitos ou o problema em si, é necessário ir mais fundo: entender e eliminar as causas.

Nesse caso, além de expor o problema, é importante apontar suas causas. Talvez a solução esteja na “cura” de uma causa específica e, se ela não for conhecida, provavelmente não se chegará a uma conclusão plausível.

4. Determine a hierarquia das possíveis causas

As causas podem ser classificadas em uma listagem, que ajudará os integrantes da reunião a pensar em possíveis soluções. Todos podem ajudar na elaboração dessa listagem.

Você pode utilizar a técnica dos post-its nessa etapa. Peça aos participantes que escrevam a causa que julgam de maior peso e compare as respostas. Se alguma delas for citada por mais pessoas, talvez seja o caso de considerá-la.

5. Defina um plano de ação

Agora que o problema e suas causas já são conhecidos, é hora de entender o que é possível fazer para combatê-lo. Nesse momento, surgirão as ideias que serão debatidas como possíveis soluções. As ações propostas também podem ser hierarquizadas e, assim, determina-se também qual o caminho para colocá-las em prática.

Como se pode ver, o brainstorming pode ser o caminho mais indicado para mediar conflitos. Além de trazer soluções, ele ainda estimula a comunicação entre equipes e o debate de ideias.

Se este post foi útil para você, não deixe de ler outras técnicas para mediar conflitos.

Dê uma nota a este post!
[Nota média: 0]