Due Diligence: conheça 5 boas práticas para advogados

Boas práticas de Due Diligence para advogados.

A due diligence é um procedimento prévio adotado pelas companhias com a finalidade de avaliar os riscos do negócio. Por meio dela é possível criar mecanismos seguros de ações, averiguar a regularização perante a lei, identificar se o objetivo está sendo alcançado, entre outras vantagens.

Também é uma ferramenta importante nos processos de fusões e aquisições de empresas. Afinal, traz segurança tanto para o vendedor quanto para o comprador por estudar o passado e encontrar eventuais perdas para o adquirente.

Nesse contexto, elaboramos um artigo apresentando algumas práticas que podem ser utilizadas pelo advogado. Confira!

1. Crie um cronograma de atividades

Antes de começar uma due diligence, é fundamental ter as possíveis atividades que serão realizadas em mente. A partir disso, você deve criar um cronograma com início e fim do procedimento e trabalhar para que tudo saia conforme o esperado e dentro do prazo estabelecido.

2. Conte com uma equipe multidisciplinar

Defina as pessoas que farão a due diligence e com quais colaboradores da empresa alvo elas vão interagir para executar a atividade. Escolha também o coordenador que deverá dividir as funções, monitorar as tarefas para que sejam executadas da melhor forma, fazer reuniões e demais processos.

Por ser um trabalho complexo, forme um time com profissionais que tenham conhecimentos em diversas áreas, com contabilidade, tributos, controladoria etc.

3. Realize uma reunião

Fazer uma reunião inicial entre os membros do time responsável pela due diligence é essencial. Esse encontro será dirigido pelo coordenador e terá como finalidade:

  • descrever a operação em que o processo se insere;
  • entender a intenção e ressaltar o foco principal;
  • distribuir as tarefas entre a equipe;
  • esboçar e padronizar os métodos de trabalho a serem desenvolvidos;
  • antecipar possíveis contingências previstas ou potenciais;
  • evidenciar as preocupações expostas pelo cliente.

4. Estipule as informações e documentos que devem ser analisados

Para que tudo aconteça como previsto, é primordial definir com antecedência os documentos e informações que serão analisados e encaminhados pela empresa/cliente. Se possível, faça uma lista enumerando cada um deles. Assim, fica mais fácil conferir se tudo foi separado como solicitado.

Assim que os documentos e informações forem chegando, a lista deverá ser atualizada e encaminhada às partes, constando a indicação de documentos que estejam pendentes, os recebidos e aqueles apresentados com algum tipo de divergência.

5. Faça um relatório da auditoria

Depois de fazer a análise de todos os documentos disponibilizados pela empresa alvo durante o procedimento de due diligence, o advogado terá que elaborar um relatório com os principais fatos e contingências identificados, com o fito de ajudar o cliente na continuidade da operação.

Realizar a due diligence é muito interessante para o negócio por permitir a criação de pontos de melhoria e o planejamento de novos projetos. Contudo, para que isso aconteça, é necessário contar com advogados competentes e qualificados para realizar a atividade com credibilidade e eficiência.

Este texto foi útil para você? Então, aproveite a visita em nosso blog, conheça as principais tendências para escritórios de advocacia e saiba mais sobre o tema!

Dê uma nota a este post!
[Nota média: 5]