5 habilidades comportamentais que todo advogado precisa ter

Um advogado não precisa somente decorar livros de leis e normas. Tal material foi criado para consulta e sempre será possível ler para se atualizar quanto ao atual sistema. Entretanto, existem algumas habilidades comportamentais que fazem toda a diferença em seu sucesso profissional.

Muitas vezes, dois advogados formados na mesma instituição, com o mesmo nível de conhecimento, apresentam diferentes trajetórias.

O que explica o sucesso de alguns, em detrimento das dificuldades de outros, são as habilidades comportamentais. Mais que saber lidar com o público, o advogado precisa ser persuasivo e seguro.

Esses são apenas alguns exemplos de características essenciais para a profissão e, se você deseja entender melhor sobre isso, acompanhe as principais habilidades comportamentais necessárias ao advogado.

1. Comunicação efetiva

Um advogado precisa saber se expressar bem. Ele deve defender os interesses de seu cliente de maneira clara e objetiva.

Manter a postura e o tom de voz adequados, evitar gesticular demais e ir direto ao ponto são exemplos de boas práticas. Muitos advogados acabam perdendo a causa por não saber explicar exatamente o que queriam dizer. É por essa razão que a habilidade comunicativa faz toda a diferença na profissão.

2. Organização

Já imaginou a sua vida em meio a processos, audiências e compromissos, todos emaranhados? A chance de acabar se esquecendo de algo importante ou de não se concentrar em seu trabalho é grande.

Portanto, organize-se! Comece pela sua mesa, adote uma agenda e trate de providenciar com antecedência toda a documentação necessária para cada parte do processo dos seus clientes.

3. Planejamento

Um advogado precisa se planejar. Defender o seu cliente não consistirá apenas em narrar fatos e interrogar testemunhas. Você precisa estar preparado para situações adversas no Tribunal ou mesmo durante o tempo do processo e deve ter uma resposta pronta para possíveis questionamentos.

Para tudo isso, é necessário se preparar. Estar inteiramente a par da situação do cliente e buscar informar-se do processo como um todo é uma forma de estar apto a contornar quaisquer intercorrências.

4. Análise crítica

Está aí uma competência que pode ser desenvolvida a partir do conhecimento técnico e dos anos de experiência. Um advogado precisa analisar fatos e trabalhar sempre com bom senso.

Defender o seu cliente não implica em fazer uso de argumentos sem nenhum fundamento e sem explicação. Ele precisa saber do que está falando e estar pronto para maiores explicações, sem hesitar demais.

5. Empatia

Essa é uma qualidade essencial ao advogado: a empatia. A capacidade de se colocar no lugar do outro é requerida em diversas áreas profissionais.

Acredite: ela não se aplica apenas aos profissionais da saúde! Um bom advogado é aquele que entende como o seu cliente e os demais envolvidos no processo se sentem e faz bom uso dessa ferramenta.

Não se sinta desanimado se você não conta com todas essas habilidades comportamentais bem desenvolvidas. Uma boa forma de mudar essa situação é procurar um curso de pós-graduação na área da sua preferência e buscar sempre o crescimento profissional.

Gostou do artigo? Então, não deixe de ler também sobre as tendências para escritórios de advocacia.