Conheça as principais tendências para escritórios de advocacia em 2020

Estamos entrando na terceira década do século e essa deve ser ainda mais “acelerada” e inovadora do que as duas primeiras décadas desse século 21. Os escritórios de advocacia precisam manter-se ativos e observas as tendências para 2020 e os próximos anos desta década.

Inovar e modernizar-se é sempre uma boa ideia quando se trata da sua carreira pessoal e também de organizações como escritórios de advocacia.

Mostrar que o seu escritório de advocacia está acompanhando as mudanças que ocorrem no mundo, além de melhorar a posição no mercado e ser bem-visto pelos clientes ou possíveis clientes, também ajuda toda a equipe a trabalhar melhor.

Há diversas tendências para escritórios de advocacia para o ano que vai chegando e você as conhecerá agora!

Quais as vantagens de aderir às tendências?

Sabemos o quanto o mercado do direito anda competitivo. Há inúmeros profissionais capacitados no mercado e escritórios de advocacia pelo país. É claro que você não quer ser mais um no meio da multidão e deseja ser encontrado pelos clientes.

Aderir às tendências é uma ótima forma de sair na frente da concorrência e ter o seu diferencial. Levar para o escritório novas formas de trabalhar, algumas pequenas melhorias no atendimento, entre outras coisas, pode captar mais clientes do que imagina.

Quais as tendências para escritórios de advocacia?

1. Mídias sociais

O marketing digital está em vasto crescimento, e não acompanhar essa nova tendência é um erro que pode fazer o seu escritório cair no esquecimento. Afinal de contas, quem não é visto não é lembrado, e sabemos que, atualmente, as pessoas estão com os olhos fixos em seus smartphones e nas redes sociais.

Portanto, o seu escritório precisa estar onde os seus clientes estão, e estar nas mídias sociais é necessário. Não precisa estar em todas, mas naquelas que mais se identificam com o seu negócio. Por exemplo, se o seu escritório de advocacia atende a empresas, o Linkedin pode ser uma porta de grandes oportunidades.

2. Mudanças na legislação

As leis trabalhistas vêm se modificando, o que pode ser uma grande oportunidade para os advogados em 2018. Além dessas mudanças, há também algumas na legislação previdenciária, e mais reformas são esperadas para o ano que vem.

Com isso, muitas empresas e empregadores em geral precisarão de auxílio dos escritórios de advocacia para compreender o que pode e o que não pode a partir de agora. Mudanças de contratos também serão necessárias e, com isso, os advogados passam a conquistar mais clientes.

3. Mulheres na liderança

Essa é outra forte tendência para os escritórios em 2018. Com o empoderamento feminino crescendo cada vez mais, os advogados precisarão se adaptar e se ajustar a ter uma mulher nos lugares de comando dentro dos escritórios.

Escritórios que antes tinham uma política machista e preconceituosa, que só aceitavam homens como sócios, não têm mais espaço no mundo atual, e a tendência é que eles desapareçam. Portanto, é necessário se adaptar para continuar como um forte concorrente.

4. Liberdade de horário

O modelo no qual o advogado cumpre horários rígidos de trabalho está cada vez mais sendo ignorado e modificado. Hoje, as pessoas conseguiram perceber como a liberdade de horários no ambiente de trabalho pode ser benéfica.

A produtividade aumenta, o profissional se sente mais disposto a trabalhar quando é livre para fazer o seu próprio cronograma. Além disso, existem pessoas que funcionam muito melhor à noite e, assim, conseguem render mais.

5. Conexão com outras áreas do conhecimento

Não só de advogados se faz um escritório full service. Atualmente, profissionais de TI, analistas de dados, engenheiros, administradores, contadores, cientistas sociais, etc estão participando ativamente de de equipes multidisciplinar na advocacia e essa tendência está só começando.

6. Direto e Tecnologia

A tecnologia e o direito estão se conectando a cada dia e não só em LawTech como também nos escritórios de advocacia.

Por exemplo, neste ano de 2020 entrará em vigor a LGDP, Lei Geral de Proteção de Dados, que afetará quase todas as empresas e demandará muito trabalho, assessoria e consultora de advogados especados em compliance e direito digital.