Aprenda o que é escuta ativa e como utilizar essa técnica na mediação de conflitos

Técnica de escuta ativa na mediação de conflitos

escuta ativa é um método de comunicação que pode ser muito eficiente no trabalho de mediação.

A escuta ativa engloba o foco de escutar atentamente o interlocutor e observar todas as expressões corporais, com o objetivo de entender o que realmente está sendo falado e, assim, ter uma melhor perspectiva na hora de promover as negociações.

Quer compreender melhor como funciona, as vantagens e as aplicações da escuta ativa? Então continue sua leitura!

Importância da escuta ativa na mediação de conflitos

Na mediação de conflitos técnicas devem ser implementadas para que as partes sejam motivadas a ouvir uma à outra e propor soluções eficientes, dentre elas está a escuta ativa.

mediador aplica essa escuta ativa com um entendimento aguçado e empatia, gerando uma conexão entre as partes e permitindo a criação de um vínculo de confiança, que vai resultar em uma comunicação mais fluída, propícia para a construção de um consenso.

Ou seja, é preciso estimular que cada indivíduo fale sobre o litígio, e então, por meio da escuta, compreender as posições, interesses, necessidades e desejos de cada um. Assim, a mediação viabiliza uma escuta diferente, dando voz e tratamento igualitário para todos os envolvidos, o que faz com que possam fazer um acordo com tranquilidade.

Quais são os benefícios da escuta ativa na mediação?

Entre as principais vantagens da escuta ativa nos processos de mediação estão:

  • propicia o relacionamento interpessoal;
  • estimula a resolução de conflitos;
  • gera confiança;
  • desenvolve a comunicação;
  • promove a empatia;
  • otimiza o tempo.

Como aplicar a escuta ativa?

Veja a seguir alguns passos de como aplicar a escuta ativa:

  • foque na pessoa que está falando e mantenha o contato visual com ela a todo momento, mostrando que está atento ao que está sendo dito;
  • esteja com a mente sempre aberta. Você precisa estar ligado para interpretar a linguagem verbal e não verbal;
  • preste atenção, mas permaneça relaxado. Assim, vai evitar que aconteça uma tensão desnecessária;
  • evite distrações e interrupções, como telefonemas, conversas paralelas, celulares, entre outros;
  • escute as palavras e busque visualizar o que o outro está tentando dizer. Uma coisa é o que a pessoa está falando, outra é o que você realmente está compreendendo do que está sendo exposto;
  • não julgue ou tire conclusões precipitadas;
  • deixe o pensamento e as informações fluírem de forma natural, evitando impor suas convicções;
  • realize perguntas apenas para ter certeza de que a mensagem está sendo assimilada corretamente. No entanto, só faça isso quando a outra pessoa fizer uma pausa em sua explicação;
  • forneça feedback para a outra pessoa, mostrando que está interessado em ajudar a solucionar o problema. Por exemplo, faça críticas positivas e elogios;
  • se coloque no lugar do outro e busque entender suas necessidades, expectativas, valores, motivações etc.

A escuta ativa na mediação cria uma relação de confiança, em que fica mais claro entender o nível de abertura demonstrado pelos envolvidos.

Além disso, com as informações, aumentam as chances de resolução do conflito.

Assim, é possível chegar a um acordo interessante para todos e, até mesmo, ao restabelecimento de relações. Isso mostra que essa é uma ferramenta importante na busca atual pela celeridade processual.

Gostou deste post? Então aproveite não deixe de conhecer 5 técnicas que vão ajudar você a fazer mediação de conflitos e saiba mais sobre o tema!

Dê uma nota a este post!
[Nota média: 5]