Quais os métodos de solução de conflitos e como se especializar?

Escutar o texto
Voiced by Amazon Polly

Nem toda divergência precisa acabar no Judiciário. De certa forma, viemos de uma cultura que, ainda que inconscientemente, prega que ser forte é ter sempre razão, sem jamais abrir mão do seu ponto de vista. No outro extremo, estão as pessoas que cedem sempre e estão tentando agradar aos outros. Ambos os comportamentos não trazem felicidade, mas boa notícia é que existem certos métodos de solução de conflitos que visam buscar um equilíbrio.

Antes de mais nada, vale lembrar que o conflito é algo natural nas relações interpessoais e que as discordâncias são, de certa forma, saudáveis. Entretanto, a Justiça está sobrecarregada com o grande número de processos em andamento, e é aí que entram os métodos de solução de conflitos, como forma de evitar que tudo vá para o Tribunal, sem necessidade.

Quer entender quais são esses métodos? Acompanhe abaixo o nosso artigo de hoje.

Conciliação

Trata-se de um processo consensual, onde o conciliador, sempre em posição imparcial, orienta as partes de forma ativa para chegar a um acordo. Normalmente aplicada em situações mais simples, ninguém sai como perdedor. As próprias partes chegam à uma conclusão de algo que fique bom para ambas. O “juiz” é aquele que pacifica o conflito, de modo que a intenção principal é a retomada da relação social entre as partes.

Mediação

Diferentemente da conciliação, o agente terceiro não tem participação ativa na mediação. Ele apenas estabelece um diálogo entre as partes para que elas, por si mesmas, cheguem a um acordo. Embora o processo todo seja informal, o papel do mediador é garantir que ele discorra de maneira organizada e efetiva. Mais uma vez, ambas as partes saem ganhando ao final, e ainda economizam com os trâmites judiciais.

Autocomposição

Nesse caso, o acordo é firmado pelas próprias partes — a figura do conciliador ou mediador pode estar presente, mas não é imprescindível. A proposta, apresentada por uma ou ambas as partes, consiste em um meio-termo, onde cada um cede um pouco, de modo que todos saiam satisfeitos. Esse método se diferencia dos demais pelo protagonismo exclusivo das partes envolvidas.

Arbitragem

Nesse caso, as partes, de certa forma, “terceirizam” a solução do conflito. Ambas desejam chegar a um acordo, no entanto, para isso, elegem uma pessoa ou instituição que atuará na mediação. As decisões são especializadas e, inclusive, algumas são propostas com base em experiências anteriores. Embora seja uma forma de solução sem chegar à Justiça, existem contratos e normas que regem todo o processo.

Embora os métodos de solução de conflitos sejam formas de solucionar discordâncias sem recorrer à Justiça, o juiz, o advogado e demais profissionais do direito também podem estimular a sua aplicação. Existem, inclusive, especialistas nesse ramo de atuação, mas, para isso, há uma formação específica: o F, no qual você aprende a lidar com a questão e aplicar esses e outros métodos para que as partes cheguem a um acordo.

Gostou do artigo? Então não deixe de ler também este sobre a aplicação de brainstorming na mediação de conflitos.

Previous articleGestão estratégica e planejamento estratégico: veja as principais diferenças
A equipe de Redação é formada por profissionais especializados em redação, marketing, finanças, empreendedorismo, administração e gestão. Estes profissionais são os responsáveis por criar conteúdo informativo e que ajudam a inovar e resolver problemas do mercado.