O que são os métodos alternativos de resolução de conflitos

Não é novidade que a justiça é morosa e abarrotada de casos. Para tentar suprir a demanda com eficiência e celeridade, cresce a busca por métodos alternativos de resolução de conflitos no Brasil, que permitem alcançar uma solução de maneira simples e econômica.

Quer aprender quais são os métodos possíveis e como eles ocorrem? Acompanhe nosso post e saiba tudo sobre o assunto!

Os métodos alternativos de resolução de conflitos

São chamados métodos alternativos de resolução de conflitos todos aqueles que não decorrem de imposição do poder judiciário brasileiro – ainda que permitam sua participação — intermediados por um terceiro eleito pelas partes.

Desta forma, a resolução da demanda não será ditada (embora possa ser homologada) por um magistrado, como ocorre logo após a realização de audiências nos Tribunais de todo o país.

Os métodos alternativos de resolução de conflitos mais conhecidos

O Código de Processo Civil de 2015 disciplina as possibilidades de soluções extrajudiciais para conflitos. Ele até mesmo instituiu uma delas — a conciliação — como obrigatória dentro dos procedimentos judiciais.

Confira os principais métodos alternativos de resolução de conflitos no Brasil:

Conciliação

Na conciliação, as partes buscam o auxílio de um terceiro (chamado conciliador) que conduz os procedimentos para obter acordo que seja benéfico para todos os envolvidos, interferindo ativamente nas atividades realizadas. É a técnica mais utilizada em casos mais simples e sem grande disputas.

Mediação

As partes elegem um terceiro, chamado mediador, que busca, utilizando-se de técnicas específicas de negociação como rapport, brainstorming e parafraseamento, fazer com que as próprias partes cheguem a um consenso sobre o conflito, restabelecendo sua comunicação. Diferencia-se da conciliação, uma vez que o terceiro eleito busca não interferir nas atividades realizadas.

Autocomposição

É um método pelo qual as próprias partes buscam restabelecer a comunicação, estabelecendo acordo que seja benéfico para todos.

Arbitragem

Na arbitragem, as partes elegem terceiro (geralmente antes mesmo de haver conflito, por cláusula de compromisso contratual) que conduzirá a demanda de maneira impositiva, de forma muito semelhante a um processo comum.

O julgador, neste caso, não deverá ser necessariamente alguém do Direito, mas profissional da área relacionada com qualificação para tanto.

Conheça a diferença entre conciliação, mediação e arbitragem.

Os métodos alternativos de solução de conflitos como aliados dos tribunais brasileiros

É evidente que os tribunais brasileiros observam uma judicialização excessiva, o que afoga cada dia mais as pautas de juízes e deixam cada vez menos rápida a prestação jurisdicional.

Os métodos alternativos de resolução de conflitos surgem nesse contexto como reais auxiliares da nossa justiça, já que possibilitam mais eficiência para as partes e menor número de casos para juízes sentenciarem. Tudo isso, ainda com a certeza de uma decisão tomada por um profissional qualificado, que resolverá a situação da forma mais justa possível.

O potencial do nicho de métodos alternativos de resolução de conflitos

Abre-se, assim, mais um nicho a ser explorado: o de mediador de conflitos. Qualifique-se e seja pioneiro na mudança de paradigma da cultura brasileira, garantindo uma excelente remuneração para desempenhar uma tarefa que além de garantir satisfação para os clientes, ainda ajuda no cotidiano dos nossos Tribunais.

E agora, entendeu o que são os métodos alternativos de resolução de conflitos e sua importância tanto para o poder público quanto para entes privados? Siga-nos no Twitter, dê um like em nossa página do Facebook e não perca mais nenhuma dica sobre o assunto!

Dê uma nota a este post!
[Nota média: 5]